11 de out de 2012


PEDRO X. GONTIJO - PAI DE DIVINÓPOLIS

Integrando um grupo independente que se auto-intitulava: Homens Livres de Divinópolis, Pedro X. Gontijo é considerado o pai da “Cidade do Divino” por ter liderado a pugna pela sua emancipação. Homem de poucas palavras e de muita ação soube defender os interesses do então Arraial. Discutia idéias e não pessoas como gostava de afirmar.


Definido politicamente por ele mesmo como: - modularmente esquerdista afirmava com ênfase: - “o bem do povo deve ser a suprema aspiração dos governos”. Suas idéias revolucionárias desencadearam em uma maledicência com Frei Rafael, da Ordem dos Franciscanos Menores / O.F.M. - um inimigo pertinaz e acérrimo de católicos não praticantes (Jornal A SEMANA - de 04 de abril de 1.943). Para X. Gontijo, “Divinópolis sempre esteve em primeiro plano e em seus planos”. Suas afirmações no passado são de extrema contemporaneidade. Um homem acima de sua época.

 

EMANCIPAÇÃO DO ARRAIAL

Para efetivar a emancipação do Arraial, Pedro X. Gontijo contava com pouca percepção e quase nenhuma informação por parte dos moradores.  Precisava sensibilizar o patriarca Francisco Machado Gontijo e para isso; contou com a colaboração de Padre Matias Lobato que em viagem pela região acabou aportando por essas bandas a convite de X. Gontijo, inteirando-se dos fatos narrados anteriormente por cartas sobre a possível emancipação do Arraial. A adesão do clero ao processo de emancipação foi de fundamental importância para concretizá-lo.

MEMÓRIA DE FILHO

Ninguém melhor que Ascânio, o filho caçula de Pedro X. Gontijo; com 84 anos, para descrever o quão importante seja o desempenho de seu pai na emancipação político-administrativa do pacato Arraial do Espírito Santo do Itapecerica - hoje, a centenária Divinópolis. 

Pedro X. Gontijo deixou como herança valiosa: caráter, honestidade a toda prova e um nome a zelar. Para o empresário Ascânio Gontijo “a maior riqueza que um pai pode deixar para o seu filho é a sua conduta. Dinheiro gera conflitos e desarmonia na família. Zelar pelo nome é mais importante. Comumente ouvimos: - ele é filho de fulano de tal... A partir daí, todas as portas se abrem. Isso nos transmite uma maior segurança. Esforço-me muito para andar correto” pontua o exigente e grande observador.

            Ascânio se emociona quando perguntado sobre a convivência com Pedro X. Gontijo. “Ele me chamava cariosamente de filhinho, pois eu era o filho caçula dos cinco filhos que teve: Bubu; o mais velho, Pedro K., José e Elza (falecidos precocemente) e eu” resgata o saudosista.

COMO TUDO COMEÇOU

            Ascânio conta como tudo começou. “Com a morte do pai do Pedro X. Gontijo, seu irmão mais velho, de nome Antônio e ele vieram parar em Divinópolis onde tinham como referência, o padre Pedro. Aqui vendiam água que eles (Antonio e Pedro X. Gontijo) coletavam no Córrego do Barro, hoje, bairro Bom Pastor. Vendiam água na matriz e no centro do Arraial. Tudo isso para levantar um dinheiro para poder estudar em São João Del Rei, onde também tinham parentes próximos”, relata o herdeiro do legado de X. Gontijo.

O FARMACÊUTICO

Sobre a profissão de farmacêutico que X. Gontijo exercia, Ascânio relata: - “Assim como os senhores: Máximo e Raimundo, o Pedro X. Gontijo foi farmacêutico praticante dos conhecimentos adquiridos nas escolas onde ele.

 

estudou: São João Del Rei, Caraça e Ouro Preto - educandários de tradição quando assunto é ensino. Recém-formado, retorna a Divinópolis e monta a Pharmácia Maria Auxiliadora, na Rua do Comércio”.

 

O CRISTÃO

            “Só agora percebo o quanto o meu pai, Pedro X. Gontijo era cristão. Muito desligado dos bens materiais, procurava sempre auxiliar as pessoas mais carentes e necessitadas. Lembro-me muito bem; porque era eu quem lavava os vidros com 11 pra 12 anos e ele ficava tempos preparando elixires, porções, fórmulas para curar pessoas dos males daquela época”, comenta o caçula de uma prole de cinco filhos herdeiros.

 

ELIXIRES, PORÇÕES E FÓRMULAS

 

“Para doenças venéreas, comuns a aquela época vendiam e distribuíam para quem não podia pagar, o Elixir de Chapéu de Couro e Caroba Composto - feito a partir de folhas” recorda Ascânio.

“Para o início da dentição de crianças; vendia e distribuía o Pó Pra Dentição” relembra, o filho e trabalhador dedicado.

“Já para a doença conhecida como malária e para curar a maleita, um novo preparado: - Contra Maleita lembra com propriedade, o filho caçula e também auxiliar de profissão de X. Gontijo”.
 
CURIOSIDADES:



  • Pedro X. Gontijo elaborou aquele que seria o primeiro mapa do Arraial que foi distribuído a todas escolas - tamanho era o seu conhecimento das terras e das propriedades existentes; naquela ocasião.
  • Pedro X. Gontijo nasceu no dia de Santo Antônio - 13 de Junho de 1886 e não foi batizado com o nome do Santo por já existir um irmão de nome Antônio.
  • Pedro X. Gontijo, por volta de 1915 já praticava a filosofia do Programa de Saúde da Família - PSF. Andava de casa em casa e de fazenda em fazenda visitando e conhecendo o quadro clínico de cada família.
  • Pedro X. Gontijo produzia o diagnóstico de uma pessoa, a partir da simples observação de suas unhas.
  • Pedro X. Gontijo escreveu e distribuiu inúmeros boletins: Conversando com os divinopolitanos, sempre defendendo acima de tudo e de todos os interesses do Arraial. Combateu como ninguém e de forma implacável: a corrupção, o peculato, o nepotismo e tudo de errado que encontrasse à sua frente.

 

 

0 comentários:

Postar um comentário